Website_implantologia.png

Implantologia

   Posso fazer implantes dentários?

   O importante em relação ao paciente é que ele tenha um bom estado geral de saúde, mas em geral qualquer pessoa pode colocar implantes, depois de avaliado o estado de saúde geral.

   Posteriormente é feita uma avaliação clínica e radiográfica minuciosa, caso tenha uma grande atrofia óssea a solução pode passar pelo uso de biomateriais ou técnicas cirúrgicas específicas para aumentar o volume ósseo.

   Cada caso deve ser estudado e planeado individualmente. A colocação dos implantes é feita normalmente com anestesia local e sem que haja dor.

   O pós-operatório na grande maioria das vezes é relativamente tranquilo e qualquer desconforto é eliminado com o uso de analgésicos.

   Nos meses seguintes, os nossos profissionais de reabilitação oral instalam a prótese sobre o implante ou implantes colocados na primeira fase.

implantologia.jpg

   Porque colocar implantes com carga imediata na inova?

  • Tratamento em 1 dia;

  • Laboratório interno, possibilita trabalho mais rápido e eficiente;

  • Facilidades de pagamento;

  • Implantes de referência mundial;

  • Materiais de regeneração óssea e tecnologia de alta qualidade;

  • Sorriso com aspecto natural em Zirkónia;

  • Equipa médica especializada, experiente e altamente qualificada;

  • Possibilidade de fazer uma avaliação do sorriso virtual.

 

   Poderei optar por uma prótese removível para substituir os dentes em falta?

   Sempre que possível deve optar por uma reabilitação fixa sobre dentes ou implantes.

   A prótese removível, vulgarmente chamada de “dentadura”, ao apresentar algum grau de mobilidade oral durante as funções do dia-a-dia,

prejudica as restantes peças dentárias. A prótese fixa garante conforto, é mais resistente e altamente estética.

 

   Posso ter dentes no próprio dia?

   Sim, mas nem todas as pessoas podem colocar implantes e dentes no mesmo dia.

   Para isso o paciente tem que ter quantidade e qualidade suficiente de osso.

   Quando existe osso na região inferior normalmente é possível, pois o osso da mandíbula é mais duro (menos poroso). Já a maxila é um osso mais poroso e por isso a fixação do implante é mais difícil.

   Então para a colocação de implantes imediatos é necessário avaliar a quantidade óssea, o número de implantes e os dentes que serão implantados.

Website_ortodontia.png

Ortodontia

   Para que serve o aparelho ortodôntico?

   - Melhoria Estética

   Os problemas ortodônticos têm, muitas vezes, consequências ao nível social e profissional, levando a situações de restrição/inibição do sorriso por vergonha.

   O tratamento ortodôntico adequado permite uma acentuada melhoria da aparência dentofacial, contribuindo para um elevado aumento da autoestimado paciente.

   - Melhorar a Higiene Oral

   Os dentes apinhados ou mal alinhados tornam a higiene oral uma tarefa bem mais difícil.

   Ao corrigir o mau posicionamento, o tratamento ortodôntico possibilita uma melhoria da higiene oral, prevenindo o aparecimento de cáries extensas e doenças nas gengivas que, nos casos mais graves, podem levar a perda de dentes.

ortodontia.jpg

   - Aumento da Eficiência Mastigatória

   O restabelecimento de uma relação correta entre os dentes superiores e inferiores traduz-se numa maior eficiência mastigatória, eliminando a dificuldade ou incapacidade de mastigar certos alimentos e permitindo uma nutrição mais adequada.

 

   - Melhorar a Fonação e Respiração

   O restabelecimento da oclusão evita e elimina problemas de respiração, o que se traduz numa melhoria da comunicação verbal, com consequências evidentes na atitude e bem-estar do paciente ao nível social.

 

   - Prevenção de Danos na Articulação Temporomandibular

   Em alguns casos, o tratamento ortodôntico evita complicações na articulação temporomandibular (a articulação que permite a união da mandíbula com o crânio, mais concretamente com o osso temporal), que pode estar na origem de dor crónica na cabeça, face, pescoço ou ouvidos, bem como de tonturas, enjoos e limitações na abertura e fecho na boca.

Como sei se preciso de tratamento ortodôntico?

   Apenas um médico dentista ou ortodontista poderá determinar se o seu caso poderá se beneficiar de um tratamento ortodôntico.

Com base em alguns instrumentos de diagnóstico que incluem um histórico médico e dentário completo, um exame clínico, moldes de gesso dos seus dentes e fotografias e radiografias especiais, poderá se decidir a ortodontia é recomendável para o seu caso e desenvolver um plano de tratamento adequado para o mesmo.


   No entanto se apresentar algum dos problemas abaixo, pode ser um candidato para o tratamento ortodôntico:


   - Sobremordida: quando os dentes anteriores superiores recobrem quase na totalidade os dentes inferiores.
   - Mordida cruzada anterior: quando a arcada inferior está projetada muito à frente ou a arcada superior se posiciona muito atrás.
   - Mordida aberta: espaço em excesso entre as superfícies de mordida dos dentes anteriores e/ou laterais quando os dentes posteriores se juntam.
   - Desvio de linha mediana: quando o centro da arcada superior não está alinhado com o centro da arcada inferior.
   - Diastema: falhas, ou espaços, entre os dentes como resultado de dentes ausentes ou dentes que não preenchem a boca.
   - Apinhamento: quando existem dentes demais para se acomodarem na arcada dentária pequena.

Website_odontopediatria.png

Odontopediatria

   Quais as vantagens de um acompanhamento ortodôntico preventivo?

   O mau posicionamento dentário e a má oclusão são problemas que afetam muitas crianças, determinando a necessidade do uso de aparelhos ortodônticos. Neste sentido, o acompanhamento regular pelo dentista pediátrico é fundamental para atuar precocemente, prevenir ou tratar o problema desde o seu início.

   Odontopediatria engloba que tipo de tratamentos?

   - Traumatismos dentários
   - Tratamento de Cáries
   - Defeitos de Esmalte
   - Aplicação Tópica de Flúor
   - Aplicação Tópica de Selantes
   - Orientação acerca de Saúde Oral

 

 

 

   O que devo saber acerca de escovagem?

   - Bebés (até 3 anos)
   Em bebés até aos 3 anos, a escovagem deve ser realizada pelos pais, a partir da erupção do primeiro dente.

   Duas vezes por dia, utilizando uma gaze, dedeira ou uma escova macia e a pasta dentrífica deve ser do tamanho da unha do dedo da sua criança.
 

   - Crianças (3 aos 10 anos)
   Em crianças dos 3 aos 10 anos, a escovagem deve ser realizada pelos pais e pela criança.

   Três vezes por dia, utilizando uma escova macia e a pasta dentrífica deve ser do tamanho da unha do dedo da sua criança.


   - Adolescentes (>10 anos)
   Em adolescentes com mais de 10 anos, a escovagem deve ser realizada pelo próprio.

   Três vezes por dia, utilizando escova macia ou média e a pasta dentrífica deve ser do tamanho de uma ervilha.

odontopediatria.jpg

   Quando se deve realizar a primeira consulta?

   Os problemas dentários podem surgir bastante cedo e, por isso, recomenda-se que a primeira  consulta de odontopediatria seja a partir do momento em que nasçam os primeiros dentes, normalmente entre os 6 meses e 1 ano de idade.

   Esta consulta tem como principal objetivo fazer um aconselhamento aos pais sobre as principais medidas preventivas em Saúde Oral, bem como despistar algum tipo de patologia dentária, como os defeitos de esmalte dentário e cáries.

Website_periodontologia.png

Periodontologia

   Quais os sintomas da doença periodontal?

  • Sangramento espontâneo ou na escovagem das gengivas;

  • Gengivas vermelhas;

  • Aumento de volume nas gengivas;

  • Presença de pus nas gengivas;

  • Gengiva separada do dente;

  • Retração gengival;

  • Dentes sensíveis ao frio;

  • Mau hálito e/ou mau sabor na boca;

  • Dentes a abanar.

   Que tratamentos existem em Periodontologia?

   - Não Cirúrgico:
   O tratamento não cirúrgico é conhecido por raspagem e alisamento radicular.

   A terapia periodontal inicial conjugada com uma boa higiene oral pessoal, permite que o tecido gengival cure e se volte a adaptar ao dente.

   Se a doença estiver num estado inicial as bolsas periodontais vão ser eliminadas.

   Mesmo em casos severos da doença periodontal, o tratamento não cirúrgico precede o tratamento cirúrgico. Isto é feito de modo que a infecção periodontal ativa seja reduzida e a qualidade dos tecidos circundantes aumente antes da cirurgia. Este procedimento pode também limitar as áreas que possam necessitar de tratamento cirúrgico.

   - Cirúrgico:
   Se o tecido ou osso de suporte do dente estiver demasiado danificado para ser reparado apenas com o tratamento não cirúrgico, existem vários procedimentos disponíveis para prevenir danos severos.

   Recomendamos o procedimento que seja mais indicado para a condição de cada paciente, dos seguintes:
 

  • Enxertos gengivais

  • Regeneração tecidular guiada

  • Terapia para a redução de bolsas periodontais

  • Aumento coronário

  • Frenectomias

   Como evito doenças periodontais?

 

   O modo de evitar estas doenças é fazer as limpezas ou destartarizações de 6 em 6 meses e realizar uma boa higiene oral diária.

 

   O que é a gengivite?

 

   É a inflamação e consequente sangramento gengival causada pela presença de placa bacteriana. É reversível mediante a remoção do agente agressor (as bactérias) através de métodos de higiene oral.

   O que é a periodontite?

   Resulta da presença prolongada de agressão gengival levado a cabo pela placa bacteriana calcificada (tártaro) e traduz-se na retração gengival com perda óssea em torno do dente.

   Evolui de forma mais rápida e agressiva na presença de uma predisposição genética e de determinados fatores de risco.

   Leva ao aparecimento de mobilidade dentária e, por vezes, à perda mais ou menos rápida de uma ou várias peças dentárias.

   O tratamento da periodontite é extremamente importante em tratamentos com implantes já que a doença, se não for tratada, evolui em redor dos implantes da mesma forma que nos dentes. A peri-implantite pode levar à perda precoce dos implantes.

periodontologia.jpg
Website_estética.png

Medicina Estética

   Como funciona o processo de branquamento dentário?
   O branqueamento de dentes consiste na aplicação de um agente branqueador na superfície dos dentes que, actuando no seu interior, provoca a alteração da cor para vários tons mais claros.
   Os tratamentos de branqueamento dentário devem ser precedidos de uma observação clínica por 
um médico dentista, onde se avalia a cor dos seus dentes segundo uma escala e se estabelece a indicação ou contra-indicação deste tratamento.

   Nem todos os tipos de manchas ou descolorações são reversíveis optando-se, nesses casos, por outras soluções estéticas.

medicinaestetica.jpg

   Posso fazer o branqueamento sozinho ou preciso de ir ao dentista?
 

   O paciente deve passar por uma avaliação antes de iniciar o tratamento.

   Além disso, o acompanhamento profissional é importante para maximizar os resultados e o conforto durante o branqueamento,

sendo que o médico dentista está apto a escolher a melhor técnica para cada caso.


   O branqueamento enfraquece os meus dentes?
   Não, o dente não enfraquece.

   O que pode ocorrer é uma perda mineral que será revertida pela ação da saliva.

Website_prevenç.png

Prevenção & Manutenção

    Todos os pacientes que tenham recebido tratamento ou não, requerem de um programa de manutenção, de forma a que possam manter a sua dentição e gengivas livres de patologia, permitindo para além disso, um diagnóstico precoce no caso desta surgir.

   A frequência ou o tipo de procedimento a realizar deve ser indicado por profissionais de medicina dentária. A prevenção é o melhor método de evitar o aparecimento de novas patologias.

prevencaomanutencao_edited.jpg